Cinco grandes semelhanças entre o filme Matrix e a realidade virtual atual

Cinema faz previsão dos dias atuais em conexão com o filme Matrix e a realidade virtual

A arte imita a vida? Ou a vida imita a arte? Por diversas vezes este questionamento foi feito. Uma das quais merece destaque é no cinema, com a íntima relação entre o filme Matrix e a realidade virtual atual.

Mas… Antes de tudo, o que é virtual?
Segundo o sociólogo e filósofo francês, Pierre Levy, em seu vídeo, “O que é virtual?”(você pode ver mais a respeito clicando aqui), o mundo virtual não é “irreal” como muitos afirmam, pelo contrário ele é real. Tanto as imagens, quanto os códigos, quanto o computador, quanto o tráfego de dados e tudo aquilo que constitui essa realidade é real. Tudo isso existe! Pierre Levy afirma que o que é irreal, é a significação para o ser humano quando se interpreta esses dados reais. Ou seja, o signo / simbolismo do que o virtual significa, cria um verdadeiro mundo imaginário que não faz parte da realidade, e assim, podemos dizer que aos poucos ficamos inertes para a realidade e vivendo algo irreal, como um sonho. Como se estivéssemos dormindo.
Há mais de quinze anos atrás, essa já era a tese do filme Matrix.

Lançado em 1999 e dirigido pelos irmãos Lana Wachowski e Andy Wachowski, o filme conta a história de um mundo pós-apocalíptico em uma época obscura que nem mesmo a luz do sol adentra. Nesse mundo, as máquinas dominam o planeta, e os seres humanos, por possuírem calor, servem de baterias para elas. No filme nós somos verdadeiras pilhas para as máquinas se manterem ligadas. Nessa época, há muito tempo que as maquinas já escravizaram a humanidade. Para as pessoas não se revoltarem, as máquinas induzem os indivíduos a viverem dormindo em um estado de inércia profundo, e enquanto os humanos dormem, além de reabastecerem as máquinas com calor humano, vivem dentro de um programa virtual, uma simulação que dificulta a distinção do que é a realidade e o que é virtual. Lá, acreditam que estão acordados graças a essa perfeita simulação do passado. Isto tudo sem suspeitar do mundo destruído ao seu redor. Essa simulação virtual é chamada de Matrix. E dentro da Matrix os humanos vivem suas vidas sem suspeitas do que ocorre fora dela. Sem saber como é o mundo real e acreditando que o que vivem dentro desse sonho cibernético é a realidade. Essa é a ligação entre Matrix e a realidade virtual atual.

Em resumo: A humanidade acredita que o mundo virtual é real.

Embora pareça bem confuso, esse pensamento não é novo, e já foi dito por diversos filósofos muito tempo antes da criação da Internet. Dessa linhagem de pensamentos, um em específico ajudou a inspirar o filme. Estamos falando do “ Mito da Caverna” de Platão, criado há muitos séculos atrás na Grécia Antiga (você pode saber mais a respeito do Mito da Caverna explicado em forma de animação clicando aqui).

 Mas… Qual a relação entre Matrix e a realidade virtual do presente?

Na Matrix, toda a humanidade passa a vida, nasce, cresce, se conhece, se relaciona, se reproduz, trabalha e morre, sem jamais perceber que vivem em um programa de computador, ou ao menos enxergar o mundo real com os próprios olhos. Você se lembrou de algo da realidade? Chegou a se identificar? Que tal… Ver a realidade envolta da onde está lendo esse texto… Além da tela  do seu celular, smartphone, tablet ou computador.  “Uma realidade virtual que é confundida com a realidade”. Que tal…Facebook? Youtube? Twitter? A Internet em geral…  Sim, esta é a familiaridade entre Matrix e a realidade virtual, que passa uma mensagem de alerta nas suas entrelinhas sobre o estilo de vida contemporâneo.

Filme Visionário

As similaridades de Matrix e a realidade virtual dos nossos dias se tornam ainda mais impressionantes ao notarmos que na época em que o filme foi lançado, embora a Internet já existisse, ainda não havia se popularizado da forma que se popularizou nos anos seguintes. A ideia de que Matrix e a realidade virtual de hoje foi uma previsão bem-sucedida do cinema com o estilo de vida social que viria, aumentam ainda mais ao compararmos o conceito do programa com as redes sociais atuais, estas, embora já existissem na época, não eram popularizadas como é hoje. Ao menos o seu conceito era totalmente compreendido, sendo realmente difundidas no Brasil somente cinco anos depois, em 2004, com a popularização do Orkut.

Além do mundo virtual tomando o lugar da vida real, o que podemos notar com relação entre Matrix e a realidade virtual dos dias de hoje? De muitos, iremos resumir em cinco diferentes pontos como:

1 -Velocidade para baixar e acessar informações

No filme Matrix o ser humano tem o poder de baixar conhecimentos da rede. Enquanto isso… Na realidade virtual dos dias de hoje… Isso… Também é possível! Obviamente não com a mesma velocidade, instantaneidade e profundidade que acontece no filme, mas… Podemos dizer que estamos caminhando para isto.

No próximo item falaremos mais a respeito de alguns projetos que visam justamente realizar essa inovação do filme. Porém, já hoje em 2017, é possível acessar o conhecimento de maneira muito mais fácil do que há trinta anos, onde dependíamos de livros e da disponibilidade dos mesmos nas bibliotecas e livrarias.

Nos dias atuais o conhecimento está exposto on-line, e podemos acessá-lo através dos computadores, tablets e smartphones. Ou seja, o ser humano aos poucos vai se “plugando” à tecnologia. Esta é mais uma semelhança entre Matrix e a realidade virtual.

Através da Internet dos dias de hoje, podemos fazer o download de todo o conhecimento que queiramos, como: aprender culinária, mecânica, aviação,origami, joquempô, libras,plantar bananeira, francês ou talvez… Até chinês. Por que não?!

Obviamente é necessário também o esforço humano. Já no filme, com um simples clique, Neo tem a sua disposição conhecimentos para realizar o download completo, como de uma arte marcial milenar, como o Kung Fu por exemplo, e de forma instantânea, após fazer o download já sai quebrando tábuas com as mãos, dando saltos mortais e distribuindo socos e chutes por aí. Seria bom se não precisássemos nos esforçar para aprender, mas por enquanto, por azar, ou por sorte, isso… Ainda não é realidade.

2 -Singularidade do ser humano à máquina

Outra particularidade entre o filme Matrix e a realidade virtual, é a união entre o homem e máquina. Na trama, o ser humano já não é mais 100% animal, e em seu corpo, existem diversos plugues que o conecta à Matrix. Já nos dias atuais… Bom, de certa maneira isto já está acontecendo. Talvez não tenhamos fios, chips e plugues conectados em nossa nuca e por todo o corpo, porém, basta apenas um olhar mais atencioso e uma observação mais apurada no dia a dia para concluirmos o quanto a humanidade e a máquina estão caminhando aos poucos para se tornar uma coisa só.

Quantos minutos ou horas por dia você tem contato com um computador, um tablet ou um smartphone? Se forem muitos, no tempo vago, o que você faz? Assiste televisão?

Diariamente estamos em contato com as máquinas. Diariamente, diante de nossos olhos vemos o mundo por trás das telas.

Enquanto andamos nos trens temos já plugados em nossos ouvidos phones. Nós usamos as máquinas para alcançar o que queremos. E as usando ficamos praticamente 24 horas por dia conectados a elas. E aí vem a pergunta: quem usa quem? Na realidade, há muito tempo já somos dominados pelas máquinas,e é mais ou menos isto que o filme coloca quando põe o ser humano na condição de “pilha”. Ou seja, para as máquinas “viverem” depende de nós. E na realidade, isto tende a evoluir cada vez mais…

Existem alguns projetos que realmente indicam esta singularidade entre o ser humano e a máquina, isto é, os dois literalmente se tornarem uma coisa só, é apenas uma questão de tempo.

Hoje, já sendo comercializado, existe o Google Glas (clique aqui para ver mais sobre o assunto), que basicamente é a tecnologia de um computador conectado a rede em formato de óculos. Este já está no mercado, e é só um começo para esta unificação ocorrer. Porém, existe algo ainda mais próximo desta singularidade prestes a acontecer. Recentemente, a Samsung anunciou um projeto ainda mais tecnológico evoluindo toda a ideia o Google Glass em formato de lentes de contato, que acopladas aos olhos, daria acesso a rede e até mesmo possibilidade de tirar fotos ( se você quiser saber mais e ver uma demonstração é só clicar aqui).

Mas, se você ainda acha que a singularidade do ser humano à máquina é coisa de ficção científica, saiba que existem projetos que planejam tornar isto ainda mais real do que óculos multimídia ou lentes de contato com wi fi.

O norte americano Raymond Kurzweil é um tecnólogo, inventor e futurista (aquele que estuda de forma lógica e baseado em fatos um possível futuro), reconhecido mundialmente por realizar previsões certeiras, ele tem um prestigio muito alto pela comunidade científica, pois das 147 previsões que Kurzweil tem feito desde 1990, 115 delas aconteceram, e outras 12 foram consideradas “essencialmente corretas”. Raymond Kurzweil diz que em 2030 existem grandes possibilidades da nanotecnologia (resumidamente: a tecnologia de robôs microscópicos, você pode clicar aqui para saber mais a respeito) trabalhar em nosso cérebro e nos conectar a rede virtual de forma literalmente orgânica (clique aqui para saber sobre a previsão de Raymond Kurzweil).

Quando ele diz isto, ele quer dizer: robôs em nosso cérebro nos conectando a Internet e sendo possível até o download de arquivos. Se prepare que um dia o Windows e a Apple vão brigar para entrar de modo literal com softwares dentro de sua mente.

Acha que esta semelhança entre Matrix e a realidade virtual é muita ficção científica? Pode até ser, mas não se esqueça que um dia acharam que o carro voador também era. E hoje, além de inventado, já tem previsão para ser comercializado em 2019 (veja o vídeo do carro voador em funcionamento clicando aqui).

3 – O virtual afeta o real

Existe uma similaridade entre Matrix e a realidade virtual atual que literalmente acontece hoje.
No filme, vemos uma constante preocupação tanto dos humanos quanto das máquinas com a Matrix. Mas…Por que essa preocupação? No caso dos humanos, é querer libertar a humanidade daquela simulação virtual e mudar o mundo real. No caso das máquinas, é manter o ser humano naquela condição. Ou seja, no filme, o virtual afeta diretamente o real.

Isto acontece a todo momento nos dias de hoje. Quer um exemplo prático?! Quantos e quantos relacionamentos não terminam por uma curtida indesejada ou um comentário gaiato na foto do Facebook de outra pessoa? Quantos empregos não são alcançados através da Internet? Quantas viagens não são programadas através de sites? Quantas empresas não crescem imensamente através do marketing digital ou serviços de publicações on-line como aqueles oferecidos pela RDO – Plataforma Digital On-line.

A grande verdade, é que neste ponto já estamos inteiramente ligados a Matrix.
Nós conversamos, negociamos, namoramos, desabafamos e literalmente vivemos através da realidade virtual. E grande parte desta atitude, é porque também sabemos que este mundo virtual afeta diretamente a nossa realidade.

4 – A necessidade de segurança e do monitoramento técnico das atividades no virtual

Outra semelhança entre Matrix e a realidade virtual, é a necessidade de um técnico para monitorar as atividades que ocorrem no mundo cibernético. No caso do filme, quando Neo, Morpheus e Trinity adentram a Matrix, precisa ficar alguém do lado de fora para garantir que não aconteça nada de errado. Em nossos dias atuais isto acontece há muito tempo.

Empresas contratam profissionais especializados em TI para realizar o monitoramento de links, verificação da rede e realizar a manutenção de sistemas para garantir que nada ocorra de errado. Pois se algo acontecer… O desespero é geral.

Normalmente quem faz isto no mundo real são profissões ligadas a tecnologia da informação. No filme, essas funções podem ser atribuída diretamente ao personagem Tank, que tinha como missão garantir que todos saíssem vivos da Matrix. Mas resumidamente ele monitorava links, verificava a rede e realizava a manutenção dos sistemas para garantir que nada ocorresse de errado. Ou seja, Tank era um analista de TI da Matrix.

No caso da nossa realidade virtual, cada vez mais é necessário profissionais que entendam do meio digital, e hoje, “entender do meio digital” não é somente uma classificação específica para aqueles que são ligados a TI. Esta necessidade se amplia também para outras áreas, como o desenho e a comunicação, e as converge em novos segmentos, como o design e o marketing digital. Por exemplo: Hoje, campanhas e estratégia de marketing digital são elementos cruciais para realizar o real crescimento de uma empresa no século XXI. Por isso, caso a empresa queira ficar maior, é vital a necessidade de um profissional especializado nessa área. É necessário a segurança e o monitoramento das atividades e dos resultados, um serviço especializado por quem constantemente estuda sobre o assunto, como os serviços prestados pela RDO-Plataforma Digital On-line.

Em todos os casos, quando o ser humano se conecta a realidade virtual, é necessário um profissional para monitorar todas as atividades com técnica e segurança, e esta é a quarta semelhança entre o filme Matrix e a realidade virtual dos dias de hoje.

 5 – A velocidade das réplicas

Entre os momentos do filme, um dos mais emblemáticos é quando o agente Smith começa a criar diversas réplicas pela Matrix. Esse momento acaba resultando em uma das melhores cenas de luta do filme. E por que não dizer, uma das melhores cenas de luta do cinema (você pode assistir agora mesmo a essa fantástica cena de luta clicando aqui).

Mas… o que quer dizer esta cena? Por que ela é tão emblemática? No filme, o agente Smith se torna um vírus na Matrix, e é indesejável tanto pelas máquinas quanto pelos seres humanos. Porém, mais do que isto, esta cena indica a velocidade com que a informação corre na rede, e indo além, como esta informação replica de maneira eficaz e eficiente. Esta é mais uma semelhança entre Matrix e a realidade virtual atual. No filme isto é mostrado no sentido metafórico, quando o agente Smith toca qualquer outra pessoa, ela se torna uma réplica dele (clicando aqui você pode ver a esta cena).

E na realidade atual? Como isto ocorre?De forma resumida a Internet é um meio de comunicação eficiente, pois é possível agregar a ela outros formatos de mídia, como vídeos, imagens e áudio. Ou seja: ela é multimídia. Quando o ser humano entra em contato a esses formatos, de uma maneira mais eficiente do que a convencional, recebe um maior auxílio para o entendimento da mensagem, pois o áudio, imagem e vídeo, desperta e estimula sensações, emoções e pensamentos. Exemplo: Uma mensagem motivacional com uma música inspiradora e imagens que estimula a auto-estima seria melhor compreendida, no caso para seu sentido ser realmente assimilado e até inspirar alguém, do que seria caso fosse somente em um texto convencional. Isto é claro dependendo do texto, da pessoa e de outras variáveis, mas em resumo e principalmente quando esta mensagem é lançada em larga escala (para diversas pessoas ao mesmo tempo), esses recursos multimidia (áudio, vídeo e imagens) auxiliam e muito para a compreensão do sentido real dessa mensagem.

Ocorre o mesmo com uma campanha de marketing digital, um texto humorístico, um registro factual e assim por diante… A pessoa se incorpora a mensagem. Neste caso, a semelhança entre à Matrix e a realidade virtual atual, é justamente a capacidade de criar réplicas e incorporar pensamentos com muito mais facilidade.

Mas não somente isto, pois existe também a questão da velocidade com que isto ocorre.

Hoje, uma campanha publicitária, quando feita de maneira digital, atinge em muito menos tempo do que atingiria se fosse realizada por outras maneiras. Vamos tirar como exemplo uma campanha realizada dentro de uma revista. Se a mesma fosse realizada de forma impressa, teria toda a questão do tempo de impressão; do tempo de transporte da gráfica até as bancas de jornal ou livrarias; do tempo do consumidor chegar até o estabelecimento comercial; entre outras variáveis. Já ela sendo no formato digital, como as oferecida pela RDO – Plataforma Digital On-line, com um simples clique, ela iria diretamente aos olhos do leitor através dos smartphones, computadores e tablets em menos de um minuto.

O meio digital propicia alcançar mais pessoas em menos tempo. E mais do que isto, facilita o entendimento da mensagem original por ser multimídia, ou seja, assim como o Agente Smith cria diversas réplicas que foram incorporadas por aquela mensagem, hoje, é possível criar réplicas incorporadas por outras mensagens.

Matrix e a realidade virtual

Matrix é um filme e tanto, e com certeza extremamente visionário para a época que foi lançado. Possivelmente, daqui a 50 anos, esse filme será considerado um clássico, justamente por ter feito previsões que se encontrarão ainda mais com a realidade do futuro. Extremamente profundo, existe um imenso número de mensagens muito profundas, que se passam magistralmente de forma subtendida nas entrelinhas no decorrer da trama. Repare que nesse artigo, não há nenhum comentário dos efeitos especiais do filme, e esses são um show à parte. Tecnicamente, são tão visionários quanto seu roteiro e inspiraram muitos filmes que se sucederam a utilizar os mesmos efeitos especiais.

Além das semelhanças descritas, o filme é principalmente um alerta de como a tecnologia está dominando a humanidade, e como a realidade virtual afeta a nossa própria realidade.

E já que começamos perguntando o que é virtual, vamos terminar perguntando o inverso, o que é real? Para esta pergunta, nada melhor que uma indagação mais profunda do próprio Morpheus:

“O que é real? Como você define o ‘real’? Se você está falando sobre o que você pode sentir, o que você pode cheirar, o que você pode saborear e ver, o real são simplesmente sinais elétricos interpretados pelo seu cérebro.”

Morpheus – Matrix – 1999
Dia após dia o mundo vem se tornando cada vez mais digital. A partir daí, surge à necessidade do ser humano se adaptar a isso. Adaptar, e não ser dominado.

Uma onda tecnológica está se formando no mundo. E aqueles que souberem utilizar isso ao seu favor e hoje se atualizarem, estarão na crista dessa onda amanhã.

Portanto, faça como Neo, não seja escravo da máquina e utilize o virtual a seu favor.

Se quiser saber mais, entre em contato conosco!

RDO – Sua solução em Publicação On-line

Por: Rafael de Almeida

contato@revistadigitalonline.com.br

www.revistadigitalonline.com.br

Telefone: 11 2307-2737

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário